Tradutor há 15 anos e professor da pós-graduação em Tradução Audiovisual da Estácio, Michel Teixeira participou de um bate-papo em que narra um pouco da sua trajetória profissional e conta como é o mercado de tradução de games, sua principal área de atuação. Na conversa, explica como funciona um projeto e sinaliza que a demanda por novos profissionais é expressiva.

De acordo com Teixeira, a tradução de videogames exige equipes, porque são trabalhos grandes, mas com prazos curtos. “Só para efeito de comparação: um livro do Stephen King, com 400 páginas, tem, mais ou menos, 250 mil palavras de tradução. Um grande projeto de videogame pode ter mais de um milhão. No caso do livro, posso traduzir entre três e quatro meses, e o videogame precisamos traduzir em dois ou três meses”, explica Teixeira.

Entre outros assuntos, o professor analisa se é essencial ou não ser um gamer para atuar como tradutor deste segmento, que não para de crescer. Confira aqui o bate-papo completo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *